31 de mai de 2009

Emoção e muito carinho com Marlene ao meu lado!






Nemércio, Barbara, Sebastião, Monica, Dalva ...

Quanto entusiasmo!












Nemércio e Regina
















Nemercio. Nicolau Franco, Monica Souto,Anette e Sonia

Regina e Dalva

CHÁ COLONIAL


Monica Souto
com
Sonia Abreu e
Wagner.
Eulita envolveu a todos com a sua arte...

Numa noite agradável e aconchegante, por iniciativa do senhor Nicolau Franco e o GPSO, Grupo de Pelada Seis de Outubro e participação da Associação Parkinson Carioca, o Clube de Regatas Guanabara recebeu a "Família Parkinson" e amigos no seu salão nobre. Foram momentos de alegria e de prazer que, por certo, não serão esquecidos. Superamos dificuldades para estar ali, mas valeu à pena. Fomos recebidos com violinos e ficamos emocionados com todo requinte e beleza. Bom gosto e carinho marcaram a programação. Delícias de doces e salgados. Músicas, danças de salão infantil e de adulto com o prof. Leandro. Apresentação da cantora lírica Eulita Rufino Martins, acompanhada por Aline Rufino. Teatro: Contos em Mesa de Botequim Cia de Teatro Três Micos. Joel Mathis com sua voz maravilhosa, foi muito aplaudido. "Performance Ondeia minha relação amorosa com Mr. Parkinson" por Dalva Molnar. Doença de Parkinson em Cordel com Dalva e Regina. Tudo isso e muito mais... Houve uma interação sadia, as famílias dançaram, cantaram, aplaudiram. A todos que participaram o nosso abraço com carinho. Valeu...

21 de mai de 2009

MAIS COMENTÁRIOS SOBRE O LIVRO

Prezada Monica e Família

Li e reli teu livro. Na primeira vez, para conhecimento do assunto e objetivo do livro. Na segunda vez, porque a mensagem foi exposta de tal forma que nos envolve e mexe, também, com sentimentos, estejam eles guardados por representarem algo importante na construção desta nossa presente vida terrena ou por estarem reprimidos motivados por fatores de educação, entendimento ou mera ignorância.Na apresentação (pags. 19 a 27) recebemos uma verdadeira aula sobre adoença (ainda incurável) de Parkinson, porém com um contexto de esperança muito forte de que esta realidade está mudando e, bem próximo, a Ciência vencerá este mal que atinge indiscriminadamente a qualquer humano.Na pag, 49 ("Meu nome") chamou-me a atenção porque vivenciei - sob um aspecto diferente - a realidade de receber informações na minha infância (que vivi longe dos familiares maternos e paternos) de forma muito romântica e fantasiosa sobre uma realidade bem diferente da vida de avós, tios e primos que se descortinou quando vim morar perto deles, já em minha adolescência. Já adulto, compreendi porque meu sobrenome paterno é Silva quando deveria ser outro. Mas, hoje, isso são "águas passadas" e não me incomodam mais, até porque mudei minha compreensão espiritual das coisas e verdades de Deus. Mas, ainda tenho muito a caminhar...Gostei do questionamento que você faz na pág. 50: ...Mas, o que é a felicidade? É possível ser feliz? e, nos dois parágrafos seguintes,mostra-nos não só uma superação como uma consciência brilhante sobre como compreender os desencontros olhando os fatos com a maturidade de um amor bem desenvolvido.Na pag. 54 (penúltimo parágrafo) posso dizer a mesma coisa, guardadas as devidas diferenças, no que tange aos diversos e constantes questionamentos que fiz à minha mãe que manteve, como pode, o folclore da família, silenciando-se quando não mais podia fazê-lo. Também nos emocionamos e, também, da parte dela, havia muito aconchego.Estão bem descritos, entre as págs. 69 a 91, os recursos que todos podem se utilizar como auxílio no tratamento da doença, numa iniciativa muito fraterna objetivando o bem do próximo.Nas "Reflexões Finais" achei maravilhosa a tua análise da importância da família, não só no combate às doenças mas em todos os momentos da vida em comum onde,o conjunto harmonizado e compartilhado no Amor, tem uma força insuperável.
Teu último parágrafo se coaduna com outras tantas mensagens voltadas para o Bem e que nos foram transmitidas por espíritos de escol como Emmanuel e André Luiz e tantos outros que nos querem evoluindo em direção à Luz. Parabéns. Que Deus te abençoe e a todos os que te são caros.

Rio Grande do Sul
Francisco e família.

20 de mai de 2009

CHAT DA APPP

Atenção amigos, o tema proposto pelo Badu, para nossa reflexão no Chat da Associação Paranaense dos Portadores de Parkinsonismo, na 5º feira, dia 21/05/2009, é envolvente e polêmico: Você acha que sua doença é um castigo, uma expiação ou um karma?

Esses questionamentos têm surgidos em emails que muitos PKs me enviam.

Essa é uma oportunidade de falarmos sobre isso, mas sem nos determos em ponto de vista religioso. Seja qual for a nossa religião, sabemos que a dor e a luta na busca de recursos para aliviar o sofrimento é a oportunidade de sublimação que nos compete aproveitar. Quando conseguimos enxergar abrimos novas possibilidades. A superação passa pela aceitação, mas não pelo conformismo.

Resignação não é acomodação, é um processo dinâmico de busca de possibilidades de enfrentamento do problema, de busca de agrupamento, de ajuda. Quando nos revoltamos uma sensação de impotência nos impede de agir e, ai a vida perde o sabor.

Expiar-ex, significa extrair de dentro; pia, quer dizer pureza.

Expiar é extrair a pureza que há dentro da criatura, a essência.

Todos nós temos a possibilidade de atender ao apelo: "Vinde a Mim..."

Então, já conseguimos ir?

19 de mai de 2009

RAZÕES PARA ADQUIRIR O LIVRO “ERA OUTONO EM BARCELONA, O MEU ENCONTRO COM MR. PARKINSON.”


Porque o livro fala sobre sentimentos de solidariedade e transmite informações preciosas para todos os interessados em compreender e ajudar os portadores da Doença de Parkinson.

Porque desperta a consciência social ao mostrar a necessidade de apoiar o portador de Parkinson nas suas dificuldades.

Porque rompe barreiras de silêncio de portadores de Parkinson, ajudando-os a entender e a conviver com a doença.

Porque traz informações importantes sobre a doença, e ninguém melhor do que a autora, que tem a vivência do Parkinson, para relatar dobre os seus sintomas.

Porque informa e esclarece sobre a Doença de Parkinson proporcionando esperanças e estímulos para os portadores, sem criar falsas expectativas.

Porque o livro tem uma abordagem clara e objetiva , considerando que é difícil achar bibliografias que atendam o enfoque psicológico e subjetivo sobre a Doença de Parkinson.

Por ser uma leitura simples, esclarecedora e agradável, facilitando o entendimento, imediato, a respeito da doença.

Porque orienta em relação aos tratamentos disponíveis que diminuem os efeitos dos sintomas ajudando o portador a conviver dignamente com a doença.

Porque convida o leitor a fazer uma viagem à sua infância e a refletir sobre a importância da família para o fortalecimento e crescimento do ser humano.

Porque o livro, ao mostrar a importância das Associações de apoio aos Parkinsonianos, nos conduz ao pensamento sistêmico e a uma consciência de responsabilidade social.

Porque pode contribuir para o leitor superar os mitos familiares e a conviver com a sua família de maneira mais real e saudável.

18 de mai de 2009

MULHERES ESPETACULARES

Tem sempre presente que a pele se enruga, o cabelo embranquece, os dias convertem-se em anos...
Mas o que é mais importante não muda. A tua força e convicção não têm idade.
O teu espírito é como qualquer teia de aranha.
Atrás de cada linha de chegada, há uma partida. Atrás de cada conquista, vem um desafio. Enquanto estiveres viva, sente-te viva. Se sentes saudades do que fazia, volta a fazê-lo. Não vivas de fotografias amarelecidas...

Continua, quando todos esperam que desistas. Não deixes que enferruje o ferro que existe em ti.
Faz com que em vez de pena, te tenham respeito.

Quando não conseguires correr através dos anos, trota.

Quando não consigas trotar, caminha.

Quando não consigas caminhar, usa uma bengala.

Mas nunca te detenhas!!!

Madre Teresa de Calcutá

17 de mai de 2009

O Clube de Regatas Guanabara convida a todos para o
Chá Colonial com Mr. Parkinson.
dia 28 de maio de 2009 das 16:00 às 22:00 horas
Na Programação
:
- Lançamento do livro da Monica Souto :
Era Outono em Barcelona- o meu Encontro com Mr Parkinson
- Apresentações de Dança de Salão : infantil e adulto
- Apresentações Musicais diversas
- Performance de Dalva Molnar
- Doença de Parkinson em Cordel
- Teatro - Poesia - Coral
...e acompanhando tudo isso um delicioso Chá Colonial.
Não Perca!!!!

11 de mai de 2009

DEMONSTRE O SEU AMOR

Você tem demonstrado amor?

Não queira viver sem expressar o amor que existe em seu coração. Em cada gesto amoroso que você demonstra, o mundo se torna mais suave, as pessoas se desarmam de seus medos, a violência diminui e a paz floresce.
A felicidade, a saúde, a prosperidade e a harmonia em família dependem do quanto de amor que você está disposto a dar. Dê amor e o amor retornará a você.
Tanto quanto você gosta de receber manifestações de afeto, procure também ser aquele que demonstra amor. O mundo se encontra com tantos conflitos porque quase todos nós estamos de braços cruzados esperando sermos amados.
Saia da lista dos carentes e omissos e se aliste no exército das pessoas amorosas, pois são elas que salvarão o mundo do caos do egoísmo. O amor mesmo vivenciado por poucos, é viga-mestre que ainda sustenta o mundo.
Você não seria nada sem o amor de Deus. Você não teria ido longe não fosse o amor dos seus pais. O planeta Terra já teria virado poeira cósmica não fosse a semente de amor plantada por Jesus no coração de cada um de nós.
Então não deixe essa sementinha morrer pela indiferença. Deixe-a crescer no solo de seu coração. Ela é vital para a sua felicidade. Você não precisará de grandes feitos, ao contrário, quanto mais gestos simples e espontâneos, mais o amor se mostrará presente.
Um elogio aos familiares, um sorriso de alegria ao rever o amigo, um inesperado abraço de carinho no ser amado, um bilhete de esperança ao companheiro em dificuldades, um prato de comida aos que perambulam pelas ruas sem lar, um olhar de compaixão aos que se desviaram do bem, um olhar de respeito a quem pensa diferente de você.
É muito bom ser amado, porém é muito melhor ser aquele que ama. O perfume toca primeiramente as mãos que oferecem rosas.
O amor requer generosidade. Não seja mesquinho ao amar, retire o conta-gotas do seu coração e seja como a chuva a molhar a terra em quantidades suficientes para que ela floresça.
Que seu amor seja alegre como a criança, doce igual ao mel, formoso como as flores de primavera e brilhante como as estrelas.
O amor não está escrito nos livros, é aquilo que praticamos quando fechamos os livros.

(Do livro Força Espiritual, de José Carlos de Lucca)

10 de mai de 2009

O mundo não é maternal...

(texto de Martha Medeiros)

É bom ter mãe quando se é criança, e também é bom quando se é adulto.
Quando se é adolescente pensa que viveria melhor sem ela, mas é erro de cálculo. Mãe é bom em qualquer idade.
Sem ela, ficamos órfãos de tudo, já que o mundo lá fora não é nem um pouco maternal conosco.
O mundo não se importa se estamos desagasalhados e passando fome. Não liga se virarmos a noite na rua, não dá a mínima se estamos acompanhados por maus elementos.
O mundo quer defender o seu, não o nosso.
O mundo quer que a gente fique horas no telefone, torrando dinheiro.
Quer que a gente case logo e compre um apartamento que vai nos deixar endividado por 20 anos. O mundo quer que a gente ande na moda, que a gente troque de carro, que a gente tenha boa aparência, e estoure o cartão de crédito.
Mãe também quer que a gente tenha boa aparência, mas está mais preocupada com o nosso banho, com os nossos dentes e nossos ouvidos, com a nossa limpeza interna: não quer que a gente se drogue, que a gente fume, que a gente beba.
O mundo nos olha superficialmente.
Não consegue enxergar através.
Não detecta nossa tristeza, nosso queixo que treme, nosso abatimento.
O mundo quer que sejamos lindos, sarados e vitoriosos, para enfeitar ele próprio, como se fôssemos objetos de decoração do planeta. O mundo não tira nossa febre, não penteia nosso cabelo, não oferece um pedaço de bolo feito em casa.
O mundo quer nosso voto, mas não quer atender nossas necessidades.
O mundo, quando não concorda com a gente, nos pune, nos rotula, nos exclui.
O mundo não tem doçura, não tem paciência, não pára para nos ouvir.
O mundo pergunta quantos eletrodomésticos temos em casa e qual é o nosso grau de instrução, mas não sabe nada dos nossos medos de infância, das nossas notas no colégio, de como foi duro arranjar o primeiro emprego.
Para o mundo, quem menos corre, voa.
Quem não se comunica se trumbica.
Quem com ferro fere, com ferro será ferido.
O mundo não quer saber de indivíduos, e sim de slogans e estatísticas...
Mãe é de outro mundo.
É emocionalmente incorreta: exclusivista, parcial, metida, brigona, insistente, dramática, chega a ser até corruptível se oferecermos em troca alguma atenção.
Mãe sofre no lugar da gente, se preocupa com detalhes e tenta adivinhar todas as nossas vontades,
Enquanto que o mundo propriamente dito exige eficiência máxima, seleciona os mais bem dotados e cobra caro pelo seu tempo.
Mãe é de graça!!!

5 de mai de 2009

Comentários sobre o Livro...

"Era Outono em Barcelona- O meu encontro com Mr. Parkinson", está despertando emoções e abrindo novas possibilidades para muitos portadores de Parkinson.
As pessoas estão partilhando seus Sentimentos e fazendo comentários em relação ao livro.
Vamos transcrever alguns deles...

Cara Monica

O livro está muito bem editado e graficamente é uma beleza.
Curioso, fiz uma leitura dinâmica de cabo a rabo. Depois do livro de Marilandes Grossman, ninguém se arriscara a publicar outro livro, pelo menos que eu saiba.
Você é a grande novidade. Rompe a grande barreira que silencia portadores contando o que sente e o que aprendeu nesses 11 anos de enfrentamento da DP. E vai além: encara a grande mídia para despertar a consciência social e apoiar seus companheiros de jornada. Todos no mesmo barco! Parabéns!!!

Marcílio D. dos Santos

*********

Com muito prazer posso comentar a satisfação de vê-la ao lado de Ana Maria.
Você nos trouxe mais informações sobre a doença, deixou-nos perceber sua força e também enfeitou com sua coragem e ousadia o cenário, já tão bonito, do programa.
Carinhosamente,
Sonia Abreu
*******
Monica,
Mais uma vez, chega na frente, informando e esclarecendo sobre a nossa DP, e acima de tudo dando esperança e estímulo para todos nós.
Parabéns pelo programa . Mais você É VOCÊ !!!!!.
Nemercio Perdigão
Associação Parkinson Carioca
********
Olá Monica!!

Fiquei muito feliz em saber que existe o teu livro. Minha mãe tem parkinson há oito anos e sabemos o quanto é triste para todos nós, mas pessoas como você nos ajudam muito.
Me formei em psicologia em janeiro desse ano e minha monografia foi sobre as vivências subjetivas dos sujeitos com doença de parkinson. Só eu sei como foi difícil achar outras bibliografias que abordassem a parte psicólgica e subjetiva, as que existem são somente nosológicas.
Estou te enviando o trabalho se puder dar uma olhadinha nele, ficarei muito grata e críticas serão muito bem aceitas, já que estou arrumando um artigo para publicá-lo.
Mas enfim, gostaria de obter o livro, e não sabes o quanto fiquei feliz em saber da tua existência.
Abraço
Ludi
**********
Uma leitura muito agradável, simples e esclarecedora.
Uma ferramenta indispensável, facilitadora para o entendimento de todos a respeito do Mal de Parkinson e que, além de nos fazer refletir, nos orienta em relaçao aos sintomas, descoberta da doença e dos tratamentos disponíveis que minimizam os sofrimentos e que ajudam o portador a conviver dignamente.
Parabéns!
Marciah e Paulo

********

Tenho 68 anos e tenho doença de Parkinson diagnosticada há 7 meses.
Vi sua participação no "Mais Você " e anotei seu e-mail.
Estou interessada em receber um volume de seu livro "Era outono em Barcelona".
Abraços.
Shirley

********

Boa Tarde, Mônica!!

Primeiramente gostaria de parabenizá-la pela participação no Programa Mais Você, da apresentadora Ana Maria Braga.

Meu nome é Mariana, tenho 26 anos, sou do interior de São Paulo. Minha avó tem 76 anos e, há mais ou menos 3 anos, descobrimos que ela estava com Mal de Parkinson. Desde então ela faz tratamento com o uso de medicamentos e fisioterapia, uma vez que ela também se tornou cadeirante há 2 anos. Portanto, gostaria de adquirir um exemplar do livro "Era outono em Barcelona" para que assim possa presenteá-la e ajudá-la a entender melhor a doença.

Como devo fazer para adquirí-lo?
Um grande Abraço
Mariana

************

Oi
Eu peguei este endereço de uma lista da internet. Gostaria que me dessem informação da sua associação, onde fica, como e em que, consiste o apoio.
Temos uma pessoa na família com esta doença e ela a cada dia fica mais depressiva.
Fico grata por antecipado pela sua atenção.
Cordialmente,
Nancy

*********

Boa tarde!
Minha mãe tem a doença de Parkinson e gostaria muito de poder presenteá-la no Dia das Mães com o livro de Mônica de Oliveira Souto.
Gentileza informar como proceder.
Agradeço a atenção
Atenciosamente
Gabriela

********
Oi Mônica!
Meu nome é Tainã, moro em Natal -R.N. Acabei de ver você e sua família no Programa Mais Você, da Ana Maria Braga. Eu e minha irmã nos interessamos pelo assunto porque nosso Avô (Francisco Xavier) possui essa doença. Gostaria de fazer umas perguntas a você sobre o assunto.
Não sei se você vai poder nos responder já que você não é uma médica. Lá vai:
Não ficou muito claro pra mim no programa algumas coisas.
-> O mal de Parkinson tem cura?
-> Ele pode ser passado geneticamente? (de pai para filho)
-> Hoje em dia você ainda possui a doença? Se você ainda possui depois do tratamento ela fica mais fraca aos poucos ou você continua no estado de antes?
-> Estava olhando o seu blog e vi que você escreveu um livro sobre a sua história a respeito da doença. Você pode me dizer se ele já chegou aqui no Rio Grande do Norte, se ele vai chegar ou se para nos comprarmos só dá por meio do correio?

Um Abraço, Tudo de bom para você e sua familia!
Ass.: Tainã
************

Boa tarde Dona Mônica,

Estive nesta manha vendo sua entrevista na rede Globo e gostaria de saber o endereço da Associação em Santo Antonio de Pádua, pois a 8 meses estamos com a minha mãe doente e agora esse mês depois de vários médicos, vários exames foi diagnosticado o Mr. Parkinson em minha mãe, estamos um pouco perdido em meio a tudo isso e gostaria muito de conhecer a Associação.

Obrigada
Eduardo
.
Obs- Retirei os sobrenomes para não expor as pessoas...
Obrigada a todos pelo carinho.

2 de mai de 2009

Melhorando o visual...

Para gravar no Mais Você... ao lado da Ana Maria Braga.